AgriculturaCidadesTucumã

Tucumã Investe em Capacitação e Valorização do Homem do Campo

Quarenta e oito participantes concluíram, nesta sexta-feira (12), os cursos de capacitação, da Prefeitura Municipal de Tucumã, por meio da Secretaria de Agricultura. Com uma semana de duração, os inscritos tiveram aulas de técnicas de apicultura, inseminação animal e tratorista, na cidade, e de artesanato em EVA para mulheres da zona rural P-07. As capacitações são uma parceria com o Serviço de Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e o Sindicato dos Produtores Rurais de Tucumã e Ourilândia do Norte. Com conteúdo programático divido entre teórico e prática, cada uma das quatro turmas teve doze participantes. O número reduzido é em atenção à propagação do Covid-19.

Para Laudi Witeck, secretário de agricultura, o objetivo desses cursos é trazer qualificação profissional e melhorar também a renda das pessoas. Além disso, obedecendo às normas sanitárias no enfrentamento ao Covid-19, a recomendação e regra foi para todos usarem máscaras e que mantivessem o distanciamento social sempre que possível.

Wagner Oliveira, de 34 anos, é um dos participantes do curso de tratorista. Atualmente, ele trabalha em posto de combustível, mas percebe o potencial econômico e financeiro do trabalho agrícola. “Vou me especializar e investir mais pra frente”, projetou o  frentista.

Já no campo, durante as aulas práticas, a turma do curso de tratorista já treinava os primeiros movimentos da máquina – tão necessária para plantio, atividade forte na região de Tucumã. O instrutor do Senar Ailton Junior,  parceiro da ação, explicou que são ensinadas noções básicas de manutenção, técnicas de segurança e operação, regulagem do equipamento e de plantio.

Este trator é responsável por preparar a terra, serve para gradear, roçar, pulverizar, aplicar calcário, entre outros.  “No serviço rural este trator é o braço direito do agricultor. Damos muita ênfase em manutenção como forma de dobrar o tempo de uso do maquinário por boa conservação”, explicou o instrutor do Senar.

Inseminação
Outro curso ofertado foi o de inseminação. Dos 12 participantes, quatro são mulheres. Para a inscrita Leila Santos, que está desempregada, este curso pode representar melhorias na qualidade de vida da família. “Como temos fazenda, é sempre bom estar se aprimorando, aprendendo e ajudando”, disse a aluna.

No curso de inseminação, os alunos puderam aprender sobre anatomia animal, material utilizado, melhoramento genético e lucratividade da propriedade rural. Segundo o instrutor do Senar neste curso, André Gibson, é preciso que eles saibam bem o que estão fazendo apenas pelo toque na vaca. “A inseminação é feita no escuro, dentro do animal. A parte prática oferece essa segurança para saber o que fazer e saber melhor manejar o animal”, explicou o professor.

Adonilson Lima é produtor rural há 20 anos, herança do pai. A disciplina de melhoramento genético foi  que mais importante para ele. “Nossa região predica passar por essas melhorias. A gente precisa do semêm de gado melhorado para trabalhar na propriedade. E é um alto custo, as vezes até cinco vezes mais do que um material genético comum”

Apicultura
Sob o comando do instrutor do Senar Joel Carlos, os inscritos viveram a magia da criação de abelhas com ferrão em caixas apicultoras. Após o período de aulas teóricas, os dois últimos dias foram fundamentados na parte prática. Todos paramentados com roupas apropriadas, os alunos aprenderam desde o inicio do processo de criação das abelhas até a retirada do mel produzido nas favas em criadouros. “Eles puderam aprender o manejo das abelhas, como aumentar a produtividade e como participarem como peças fundamentais no fortalecimento de produção agrícola do município”, disse Laudi Witeck, secretário de agricultura.

Texto: Kenny Teixeira/Ascom PMT
Fotos: Marcio Albano/ Ascom PMT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo